Ana Camillo … “Mudando o conceito de gestão de documentos no 1º Cartório de Registro Civil de Ribeirão Preto”

  • Ana Claudia Messias Camillo, bacharel em Administração – Centro Universitário Barão de Mauá (2002); Bacharel em Ciências da Informação e da Documentação e Biblioteconomia – Universidade de São Paulo (2010); Graduanda em Direito – Centro Universitário Barão de Mauá e Especializanda em Gestão Estratégica de Pessoas – Centro Universitário SENAC.

Em 11 anos de trabalho para uma grande rede de venda de pneus e serviços automotivos, onde começou como estagiária, Ana teve a oportunidade de cursar a graduação em Administração que foi financiada pela própria instituição através de um programa de incentivo. Com a intenção de buscar novas perspectivas, prestou vestibular da Fuvest e em 2006 começou a cursar Ciência da Informação e da Documentação e Biblioteconomia na USP/RP.

“Estar novamente em um ambiente universitário e cercada de tantos talentos realmente foi algo muito motivante.”

A seguir o relato do início da carreira da Ana na área da Ciências da Informação e Documentação:

Ana Camillo foto

Ana Camillo

“Minha trajetória profissional em Ciência da Informação começou no final de 2009, quando atendi um telefonema de um cliente que buscava solução para a compra de pneus para seu carro. Era um carro importado e a loja em que eu trabalhava não disponha de estoque para atendê-lo. Os pneus para aquele modelo de veículo do fabricante que eu representava eram de fabricação alemã e não havia previsão de data para chegarem no Brasil.

Como eu não tinha mercadoria para atender aquele cliente e questionada por ele, fiz o que eu mais gosto de fazer: resolver problemas. Ofereci a ele a solução que resolveria a questão: informações técnicas de marcas, medidas, onde encontraria na concorrência, telefones, endereços e contatos. Não sabia com quem estava falando e fiz o que eu faria normalmente por qualquer cliente que me trouxesse uma questão em que a resposta estivesse ao meu alcance. O cliente gostou muito do atendimento e quis saber quem eu era e o que fazia e tive a oportunidade falar do Curso de Ciência da Informação e Documentação. Ele disse que tinha um projeto e deste atendimento surgiu o convite para um novo trabalho. O cliente em questão era o Dr. Oscar Paes de Almeida Filho, Oficial Delegado do 1º Cartório de Registro Civil de Ribeirão Preto.

Pedi demissão do antigo trabalho e comecei a trabalhar no 1º Cartório de Registro Civil de Ribeirão Preto em janeiro de 2010. O trabalho dos Cartórios de Registro Civil é um trabalho belíssimo: é um grande centro de documentação, onde são registrados atos da vida civil: nascimento, casamento, óbito, interdição, emancipação e outros atos notariais como procurações e reconhecimento de firmas. O critério de entrada dos registros e arquivos é a legislação vigente no país. O Cartório não guarda apenas documentos e registros: arquivamos vidas, famílias, direitos, segurança documental, veracidade, fé pública, mas do que isso, o Cartório de Registro Civil é garantia de uma sociedade livre, justa, solidaria e democrática de direitos.

Nestes quase cinco anos trabalhando no 1º Cartório de Registro Civil tive a oportunidade de participar de muitos projetos de sucesso nas áreas gestão, automação de processos, marketing, relacionamento com clientes externos e internos além de projetos sociais.”

Sobre os projetos realizados e a Fundamental Gestão de Documentos:

Ana Camillo_ Fundamental

Da esquerda pra direita: Rodrigo Lima – funcionário e aluno do CID USP; Gilson Arruda – funcionário e aluno Direito UNIP; Ana Camillo – funcionária e personagem principal da nossa matéria e Pedro Falsarella – funcionário e aluno Economia Moura Lacerda.

“Os projetos que mais destacam na área de Ciência da Informação foram: atualização de bases de dados, criação de índices informatizados, emissão de Certificados Digitais Rede ICP -Brasil e digitalização e disponibilização do acervo em software de Gestão Eletrônica de Documentos. O acervo do 1º Cartório iniciou em 1889. Todo este trabalho reflete em um melhor atendimento para usuário e redução de custos para a serventia.

O Registro Civil Brasileiro vive projetos inéditos: hoje as bases de dados com índices estão interligadas nos Estados de São Paulo, Acre, Espirito Santo, Goiás e Santa Catarina e para estes Estados é possível solicitar certidões sem sair de casa.

Da experiência no 1º Cartório de Registro Civil surgiu a Fundamental Gestão de Documentos: uma empresa de Gestão Documental, que está iniciando, mas conta com uma equipe de 4 funcionários e além do 1º Cartório atende outros Cartórios de Ribeirão Preto e região. Nosso sonho é crescer e tornarmos referência de qualidade, segurança e confiança no setor.”

Ana finaliza seu relato com um recado especial aos alunos de Ciência da Informação e Documentação:

“Para os alunos de Ciência da Informação e Documentação que leem este texto digo: não desanimem. O caminho é árduo, mas é gratificante. Sabe aquela aula de automação de bibliotecas que parece chata? Os conceitos de automação que são ensinados nesta matéria podem ser aplicados não só em bibliotecas mas em vários outros ramos de atividade. Aulas sobre o prédio do arquivo e técnicas de preservação? Aulas de Linguística e História? Você vai usar, tenha certeza.

Seja atuando em Bibliotecas, Centros De Documentação, Museus, Hospitais ou na Gestão de Organizações enxergo mercado para alunos oriundos do Curso de Ciência da Informação pois há uma grande carência deste profissional. Cabe a nós, alunos, professores e alunos egressos divulgar este maravilhoso curso e explorar mais as possibilidades. Tenho certeza que temos muito a contribuir.”

Entrevista feita por Ana Santana, em 03/12/2014

Anúncios

Hugo Abud .. “Gibiteca Henfil do Centro Cultural São Paulo”

  • Hugo Leonardo Abud, bacharel em Ciências da Informação e da Documentação e Biblioteconomia  – USP/Ribeirão Preto

A trajetória do Hugo até se tornar coordenador da Gibiteca Henfil do Centro Cultural de São Paulo começou em 2004 quando ingressou na Universidade de São Paulo, no curso de Ciências da Informação e da Documentação e Biblioteconomia, onde desenvolveu estágios e projetos de pesquisa nas três grandes áreas que compreendem a Ciência da Informação: a Biblioteconomia, Arquivologia e Museologia. Em janeiro de 2009, um ano após sua formação, entrou na Prefeitura do Município de São Paulo e em maio do mesmo ano assumiu a coordenação da Gibiteca Henfil do Centro Cultural São Paulo:

Hugo

Hugo

“Em 2013 fui convidado pela diretoria do Centro Cultural São Paulo a coordenar a Divisão de Coleções Especiais do Centro Cultural São Paulo, esta divisão compreende além da Gibiteca Henfil, a Biblioteca Louis Braile, a Sala de Leitura Infanto-Juvenil e a unidade de Recursos Audiovisuais. Esta divisão conta com 26 servidores públicos, alguns inclusive cegos que atendem na biblioteca braile tais como: bibliotecários, copistas em braile, professores, instrutores culturais, funcionários de carreira e admitidos. Além de exercer a coordenação desta grande divisão concomitante a esse trabalho também acumulo a função na coordenação da Gibiteca Henfil.”

A Gibiteca Henfil uma homenagem ao desenhista, jornalista e escritor Henrique de Souza Filho, mais conhecido como Henfil, foi inaugurada no dia 3 de maio de 1991 na Biblioteca Infanto-Juvenil Viriato Corrêa. Com o grande aumento do acervo através de doações, a Gibiteca Henfil tornou-se a maior instituição do gênero no país, e em 1999 foi transferida para o Centro Cultural São Paulo virando uma das seções da Biblioteca Sérgio Milliet.

O acervo da Henfil é composto por álbuns, revistas e livros de HQ, de RPG, fanzines e recortes de periódicos, totalizando 10.446 títulos e 119.124 exemplares e publicações dos anos 50 e 60 das editoras Brasil América (EBAL), Adolfo Aizen, Rio Gráfica (RGE), Roberto Marinho, La Selva, Vecchi, Trieste/SP entre outros.

Hugo destacou duas exposições que ocorreram na Gibiteca Henfil: “O espírito vivo de Will Eisner” e “Heróis Urbanos”.

wiil eisner

“O espírito vivo de Will Eisner”

“O espírito vivo de Will Eisner”: ficou em cartaz de 15 à 18 de novembro  de 2011, e contou com 107 desenhos originais da coleção do norte-americano Will Eisner, e o destaque da exposição foi uma estátua me bronze de 38 centímetros do personagem principal do quadrinista, detetive mascarado Spirit. links: http://www.select.art.br/article/da_hora/o-espirito-vivo-de-will-eisner-em-sp  http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/comunicacao/noticias/?p=113017  https://www.facebook.com/media/set/?set=a.284455951661126.30439852.281587595281295&type=3

herois_urbanos

“Heróis Urbanos”

“Heróis Urbanos”: ficou em cartaz de 11 à 28 de outubro de 2012, composta por 18 painéis fotográficos em que um um boneco de 30 com de super-herói dos quadrinhos, filmes e games se misturam a pontos turísticos de São Paulo, da fotógrafa Katia Arantes. links:
http://cultura.estadao.com.br/noticias/geral,mostra-fotografica-exibe-super-herois-em-pontos-turisticos-da-cidade-de-sp,929375 http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/comunicacao/noticias/?p=107926

ugrazinefest2014

“4º UgraZine Fest”

Além dessas e outras exposições, a Gibiteca Henfil promoveu  a 3º UgraZine Fest 2013 um evento anual que reúne fanzines (uma revista editada por fã) e publicações independentes. Com dois dias de atividades, palestras, oficinas, debates, exibição de documentários, entre outros. Essa edição foi indicada como melhor evento de 2013 ao prêmio HQ Mix, o “Oscar” dos HQ’s no Brasil, ficando na terceira colocação. A 4º UgraZine Fest já tem data marcada, será nos dias 20 e 21 de setembro, no Centro Cultural São Paulo (CCSP).  links:
http://intervalobanger.com/fanzines/3o-ugra-zine-fest-no-centro-cultural-sao-paulo/ https://www.facebook.com/media/set/?set=a.10151559335869558.1073741829.351813724557&type=3

A seguir, trechos da entrevista com o Hugo, em que ele relata como se adaptou ao tema HQ e suas contribuições para a melhoria das bibliotecas públicas de São Paulo em relação a linguagem e técnicas de catalogação para HQ:

“Outro grande desafio que tive na qualidade de coordenador da Gibiteca Henfil foi o de inserir a linguagem das Histórias em Quadrinhos no Sistema Municipal de Bibliotecas Públicas da Cidade de São Paulo, a pedido dos colegas bibliotecários e principalmente da diretoria de processamento de dados (Rede de Bibliotecas + 150 bibliotecas) da Prefeitura da Cidade de São Paulo. Fui e ainda sou responsável por treinar bibliotecários, auxiliares de bibliotecas e operacionais numa linguagem pouco conhecida por eles que são as HQs e hoje todas as bibliotecas da cidade de São Paulo possuem histórias em quadrinhos em seus acervos. Uma grande vitória para uma linguagem que até então era pouco valorizada na cultura pelos profissionais de bibliotecas, foi de fato e está sendo gradativamente um grande desafio em minha carreira profissional”.

“Após um tempo e inevitavelmente eu teria que me inserir de vez na relação “Práticas Biblioteconômicas e Histórias em Quadrinhos”, atualmente sou membro do Núcleo de Catalogação do Sistema Municipal de Bibliotecas e exerço principalmente esta ponte entre HQs e as técnicas de Catalogação utilizadas na rede de bibliotecas; a partir destas práticas e de minha experiência em equipe pude escrever um artigo para o I Encontro Nacional de Catalogadores e III Encontro de Estudos e Pesquisas em Catalogação no Rio de Janeiro (Biblioteca Nacional 2012); neste artigo apresentei a metodologia de classificação e catalogação utilizada no Sistema Municipal de Bibliotecas da Cidade de São Paulo”.

“Venho ao longo do tempo propondo medidas administrativas que buscam inovar o papel dos servidores públicos frente a novos desafios da tecnologia e que são essenciais na organização da Gibiteca”.

Entrevista na Íntegra e artigos relacionados: https://www.dropbox.com/sh/d9shxb2ycrwt2bo/AAB-KDsX6zFj2BYu4yQJeb8Va?dl=0

Facebook Gibiteca Henfil: https://www.facebook.com/gibiteca.henfil?fref=ts

Entrevista feita por Ana Santana, em 20/08/2014

Começamos mais um projeto, mais uma história.. muitos capítulos virão!!

Caros leitores, este novo blog nasce de uma iniciativa acadêmica, na perspectiva de apresentar projetos e ideias de alunos que passam pelo Curso de Ciências da Informação e da Documentação e Biblioteconomia da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto (USP-RP).

O objetivo é levar até a comunidade geral (acadêmica, especializada na área ou sem conhecimento algum do assunto) os trabalhos que são desenvolvidos pelos alunos do curso. Serão apresentados trabalhos realmente empreendedores que os alunos desenvolvem através de projetos de pesquisa ou de extensão, enquanto alunos ou mesmo depois já como egressos do curso.

O mais importante é sempre divulgar uma gama imensa de trabalhos relevantes que são produzidos e raramente são comunicados à sociedade.

Espero sinceramente que possamos apresentar grande ideias a comunidade e que também possamos estimular a criatividade e o desenvolvimento empreendedor de nossos alunos.

Até mais,

Prof. Dr. José Eduardo Santarem Segundo